quinta-feira, 22 de junho de 2017

Aniversários sem açúcar (sugestões dos leitores)

Na última publicação ("Abaixo as gomas! Viva a salsa!") pedi aos leitores que partilhassem sugestões sobre lembranças para oferecer aos colegas e amiguinhos nas festas de aniversário, que não fossem doces e que tivessem preços acessíveis. Chegaram-me algumas ideias bem interessantes e, como a preocupação com o consumo excessivo de açúcar pelas crianças me parece um assunto muito pertinente, resolvi fazer uma lista que irá sendo enriquecida com mais propostas que queiram partilhar connosco.

- Boião de plasticina e formas (podemos comprar embalagens com vários boiões e várias formas e dividi-los por sacos de oferta).

Lembranças de aniversário


- Livros de autocolantes (há algum miúdo que não adore colar autocolantes?).

Lembranças de aniversário


- Miniaturas de plástico (vendem-se nas lojas de artigos para festas).


- Narizes dos Doutores Palhaços (à venda em hospitais; os miúdos adoram mascarar-se de palhaço e estamos a contribuir para a Operação Nariz Vermelho).

Lembranças de aniversário


- Esculturas feitas pelo aniversariante para os amigos, por exemplo, usando barro e conchas ou pedrinhas.

- Caixa de lápis de cor e livro para pintar (pode ser feito fotocopiando imagens a preto e branco, é possível encontrar imagens para pintar sobre os mais variados temas e personagens na internet).

Lembranças de aniversário


Como a preocupação com o açúcar é extensível à festa de aniversário, partilho também alguns links para receitas mais saudáveis mas igualmente apetitosas que fui encontrando pela internet.

- Queques de banana e aveia com mirtilos, de As minhas receitas.

- Brigadeiros vegan, de Receita para tudo.

- Trufas de abacate e chocolate, de Casal mistério.

- Bolo de espinafres, de Notas soltas & coisas doces.


Há por aí mais ideias saudáveis, giras e em conta que queiram partilhar connosco?

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Abaixo as gomas! Viva a salsa!

Sugestões de lembranças para aniversários; sementeiras com crianças

Este artigo já estava para ser escrito há algum tempo mas era sempre preterido por outros temas. Recentemente voltou-me à cabeça quando, no Dia da Criança, duas amigas se queixaram da quantidade de guloseimas que os filhos tinham trazido para casa. Recordei-me então de uma conversa que tive há bastante tempo com uma outra amiga, em que ela se queixava da dificuldade que tinha em manter os bons hábitos alimentares após a entrada das crianças para o infantário. Dizia-me ela que quase não havia semana em que não trouxessem um saco de doces para casa, oferecido por algum colega aniversariante depois de lhe cantarem os parabéns e, claro, comerem o bolo de anos. Os miúdos que, em casa, tinham acesso a doces e guloseimas apenas em datas especiais e nem lhes achavam grande graça, rapidamente se lhes habituaram.

Claro que tudo isto é feito com a melhor das intenções. As crianças gostam de festejar os aniversários com os amiguinhos da escola e é simpático oferecer-lhes uma lembrança, todos gostam de um docinho... e lá temos vinte e tal dias de festa, de bolo e de gomas e rebuçados. Se somarmos a isto o Halloween, o Natal, a Páscoa, o Dia da Criança e mais não sei quantos em que o educador/professor leva umas guloseimas para oferecer aos pequenotes (sim, eu própria já levei muitos chocolates para os meus alunos), enfim, já perceberam onde quero chegar - o que pretende ser uma atitude simpática acaba por transformar-se num problema. 

Muitas escolas já tomaram a iniciativa, quanto a mim muito louvável, de definir que tipo de bolos podem ser levados para estas ocasiões, restringindo-os a opções mais saudáveis, e de proibir a oferta de guloseimas. Mas então, se houver vontade de oferecer a tal lembrança aos amiguinhos do aniversariante, que opções existem? Gostava muito que partilhassem connosco as vossas sugestões. Eu proponho algumas, baratinhas e úteis:

- lápis / afiadeira / régua (dão sempre jeito e existem alguns bem engraçados);

Sugestões para aniversários

- borrachas decorativas (as meninas adoram);

Sugestões para aniversários


- marcador de livros (até pode ser feito pelo aniversariante para os colegas).

Nesta altura, já devem estar a questionar-se sobre o que é que isto tudo tem a ver com a salsa... Eu esclareço: uma outra possibilidade, para quem tenha tempo e paciência, e que funciona muito bem com crianças pequenas, é criar um kit para que possam fazer uma sementeira. Só precisam de um vaso pequeno para cada criança, um pacote de sementes (eu sugiro a salsa, que resulta em qualquer altura do ano), um saco de substrato, sacos pequenos (podem ser daqueles para sandes), saquinhos de papel e um cartão de instruções, que podem descarregar aqui. Coloquem algumas sementes nos saquinhos de papel, o substrato nos sacos de plástico (podem usar um vaso como medida), fechem-nos e ponham tudo dentro do vaso. Imprimam as instruções, cortem os cartões e coloquem um dentro de cada vaso. Podem oferecer os vossos kits de sementes assim ou colocar em sacos individuais ou embrulhar em celofane. De certeza que os pequenotes vão adorar ver as plantinhas a nascer, cuidar delas e, passado algum tempo, comer a salsa que cultivaram (em vez das gomas e rebuçados).

Sugestões de lembranças para aniversários; sementeiras com crianças


Têm outras ideias sem açúcar? Deixem-nas nos comentários, gostava muito de as conhecer.








quarta-feira, 12 de abril de 2017

Decorações para a Páscoa com balões

Decorações da Páscoa com balões

A decoração do quarto do Curiosity vai variando ao sabor das estações do ano, das épocas festivas e dos assuntos pelos quais ele se interessa. Claro que, nesta semana, não podiam faltar decorações alusivas à Páscoa. Com o intuito de os pendurar na janela do quarto fizemos um coelho e um pinto com balões. Ele gostou tanto dos bonecos que não os deixou pendurar, preferindo usá-los para brincar!


Como são tão simples de fazer não resisti a partilhá-los convosco.

Precisam apenas de um balão amarelo e outro branco, papel colorido (branco, laranja, amarelo e cor-de-rosa), cola, tesoura e canetas de feltro. 

Quanto ao passo a passo, não há grande coisa a explicar: basta desenhar os olhos, bico, asas (usámos a mão do Curiosity como molde) e patas em papel colorido, no caso do pinto, e as orelhas, olhos, focinho e boca, no caso do coelho; pintar os olhos com caneta de feltro; recortar e colar nos locais respetivos. Fácil, não vos parece? 

Decorações para a Páscoa com balões


A idade e destreza dos pequenotes determinam o seu grau de participação na elaboração dos animais, podendo passar apenas por desenhar a mão para as asas do pinto, colar as peças ou serem eles a executar todo o projeto. 

Também decoram a vossa casa para a Páscoa?





terça-feira, 14 de março de 2017

5 ideias para o Dia do Pai


Falta menos de uma semana para o Dia do Pai e por cá o presente do Curiosity já está pronto. Este ano foi ele quem decidiu sozinho o que queria fazer mas lá me deixou dar alguns (poucos) palpites. Não posso dizer o que é senão o pai vê e lá se vai a surpresa!

Caso aí em casa ainda estejam à procura de ideias para porem em prática com os vossos pequenotes, partilho cinco que já foram testadas e aprovadas.


1. Para o pai leitor


Ideias para o Dia do Pai


Se o pai gosta de ler, um marcador de livros original será seguramente bem vindo e é sempre útil. Para fazer um semelhante a este só precisam de pasta de modelar de secagem rápida branca, um carimbo com a inicial do nome do pai ou outra figura do seu agrado, um espeto de madeira, fita de cetim, elástico, agulha, linha e tesoura.

Comecem por moldar uma esfera com a pasta de modelar, achatem para fazer um disco e carimbem (o Curiosity usou tinta para criar maior contraste mas não é obrigatório). Usando o espeto de madeira façam dois furos alinhados no disco, um em cima e outro em baixo, não muito próximos da extremidade. Deixem secar.

Ideias para o Dia do Pai


Para a segunda parte é preciso a ajuda de um adulto ou irmão mais velho. Passem a fita pelos furos e por trás do disco, de modo a que saia uma ponta da fita por cada furo. O comprimento da fita deve ser tal que possa dar a volta ao livro no sentido do comprimento, menos 10 cm. Cortem 9 cm de elástico e cosam as extremidades do elástico às extremidades da fita. Está pronto!





2. Para o pai guloso


Ideias para o Dia do Pai


Se o pai gosta de docinhos de certeza que vai adorar umas bolachas feitas pelo seu filhote. E os miúdos adoram preparar e cortar biscoitos!



3. Para o pai babado


Ideias para o Dia do Pai


Se o pequenote é um artista, nada melhor do que transformar uma das suas obras de arte numa t-shirt para o papá. Podem fazê-lo de várias formas. A mais fácil é digitalizando um desenho e mandando-o imprimir numa t-shirt numa loja de impressões ou fotocópias. Em alternativa podem imprimir em papel próprio, daqueles que transferem a imagem para o tecido com o ferro de engomar. Nesse caso, não se esqueçam de inverter a imagem quando fizerem a digitalização. Uma terceira hipótese (a mais divertida) é deixar o pequenote pintar a t-shirt usando canetas de feltro ou tintas próprias para tecido, tendo previamente o cuidado de colocar um cartão no interior da t-shirt para que a tinta não passe para as costas.

Se o seu pequenote ainda não tem idade para se dedicar às Artes, pode fazer uma t-shirt com as primeiras palavras. De certeza que o papá babado vai gostar!



4. Para o pai que gosta de cozinhar




Esta é uma ideia em que todos saem a ganhar: o pai que recebe o presente, a família que prova os cozinhados e o pequenote que, ao fazer o presente, treina várias competências da vida prática. Estamos a falar de preparar um sal de ervas. 

Na verdade, quando o Curiosity fez esta prenda não foi para o pai mas para os avós pois esta é uma ideia muito versátil. Adaptámos uma receita do blogue As minhas receitas (podem vê-la aqui) e é mesmo muito fácil de fazer. 



5. Para o pai prático


Ideias para o Dia do Pai


O pai gosta de presentes úteis? Então vai adorar receber um porta chaves. Na internet há imensas ideias de porta chaves para as crianças fazerem, este é muitíssimo fácil pois foi feito quando o Curiosity era mais pequeno.

Precisam de massa de modelar de secagem rápida, uma palhinha, um molde (que pode ser de usar com a plasticina ou um cortador de biscoitos), guache, pincel e uma ferragem para porta chaves.

Para executar o porta chaves basta cortar a massa de modelar com o molde, fazer um furo para prender usando a palhinha e deixar secar. Depois de seco, pinta-se com o guache (podemos dar ou não uma camada de verniz mas, nesse caso, convem que seja um adulto a fazê-lo). Por último, coloca-se a ferragem.


Espero que estas sugestões vos sejam úteis e, se puderem, partilhem connosco as vossas ideias. O que é que os vossos pequenotes vão fazer ou já fizeram para oferecer no Dia do Pai?

sexta-feira, 10 de março de 2017

A árvore das letras

Aprender o alfabeto com a árvore das letras

Embora ainda estejamos no inverno, tudo lá fora já nos lembra a primavera. E como quem diz primavera diz árvores e insetos, resolvi partilhar convosco uma atividade que preparei para o Curiosity no ano passado. Recordam-se da árvore das cores? Provavelmente não mas podem vê-la aqui. Como disse na altura, usei a estrutura dessa atividade para trabalhar outras competências para além das cores. Hoje trago-vos a descrição de como a usámos para melhorar o conhecimento do alfabeto.

Desde muito pequeno que o Curiosity adora letras, por isso aprendeu a reconhecer as letras maiúsculas de máquina há já muito tempo. O principal objetivo desta atividade era treinar o reconhecimento das letras minúsculas, onde ainda tinha algumas dúvidas bastante comuns (hesitava entre o n e o h, trocava o b com o d e o p com o q). Resolvi então usar o tronco de cartão que tinha feito para a atividade da árvore das cores para fazer uma árvore de letras. Para isso, fiz folhas em cartolina verde, cada uma com uma letra maiúscula, que plastifiquei, furei e prendi com um clip ao tronco de cartão. Na verdade, antes de montar a árvore ainda pedi ao Curiosity que ordenasse as letras, o que ele fez cantando a canção do alfabeto.



Também criei uns "insetos" com as letras minúsculas, imprimi-os e plastifiquei-os. A tarefa seguinte foi colocar cada inseto na folha correspondente, prendendo-o com uma mola.

Aprender o alfabeto com a árvore das letras

Numa terceira fase, pedi ao Curiosity que também ordenasse as letras minúsculas e que separasse as vogais das consoantes. Ele aproveitou para escrever o nome usando as letras.

As tarefas foram distribuídas por vários dias para que não se fartasse da atividade. Algumas foram repetidas e, como deixei a árvore montada e acessível com os "insetos" num cestinho, o Curiosity fez várias vezes a correspondência entre as letras por sua própria iniciativa.

Fica a ideia, que pode ser usada para o treino de outras competências. Podem colocar números nas folhas e variar o número de patas nos insetos, se quiserem trabalhar o sentido do número, ou uma conta para associar ao resultado, enfim, as possibilidades são imensas!

Como sempre, não partilho apenas a ideia. Para quem quiser colocá-la em prática sem ter muito trabalho, deixo também o ficheiro que pode ser descarregado aqui.







sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Por que é que os pinguins nadam mas não conseguem voar?

Ciência e pinguins


Há cerca de um ano andávamos, eu e o Curiosity, a aprender a respeito dos polos. Este é um tema particularmente consensual pois agrada tanto aos mais pequenos como aos mais velhos, permite abordagens transdisciplinares e é extraordinário para introduzir a educação ambiental. Nessa época, o Curiosity andava fascinado com esses animaizinhos patuscos que são os pinguins, pelo que fizemos várias atividades práticas sobre eles. Partilhei uma delas, que demonstrava por que é que os pinguins têm o dorso negro e a barriga branca, convosco (podem vê-la aqui). Mas fizemos outras que são tão simples e tão fáceis de preparar, podendo ser realizadas tanto em casa como na escola ou no jardim de infância, que vou publicá-las também. 

Na atividade que hoje vos relato, o objetivo é perceber por que é que, sendo o pinguim uma ave, nada em vez de voar. É interessante fazer o levantamento das ideias prévias e conceções alternativas dos pequenotes a respeito deste assunto. Desde logo, que tipo de animal é o pinguim (muitos dirão que é um pássaro, convém explicar que todos os pássaros são aves mas nem todas as aves são pássaros), quais são as caraterísticas das aves (salientar que nem todas as aves voam), onde vivem os pinguins (lembram-se da atividade "Por que é que os ursos polares não comem pinguins?"),...

Depois podemos explicar -lhes que os pinguins estão muito bem adaptados à vida aquática. 


1. Como são os ossos dos pinguins?

Para que possam demonstrar que os ossos dos pinguins são diferentes dos ossos das aves voadoras, precisam do seguinte material:

- Areia;
- duas garrafas de plástico, vazias;
- água;
- tina de vidro ou taça de plástico transparente.

Comecem por encher uma das garrafas com areia e deixem a outra vazia e tapada. Expliquem que a garrafa vazia representa os ossos das aves que voam, que são ocos, e que a garrafa com areia representa os ossos dos pinguins, que são densos. Peçam-lhes para pegar nas duas garrafas e compará-las. Em seguida, perguntem-lhes o que acham que vai acontecer quando colocarem as duas garrafas dentro de água (fazer previsões é muito importante em Ciência mas, nesta idade, não se preocupem demasiado com o facto de acertarem ou não, centrem-se no processo). 

Ciência_pinguins


Claro que, uma vez dentro de água, a garrafa vazia vai flutuar e a garrafa com areia vai ao fundo. Os ossos dos pinguins são demasiado pesados para que eles possam voar mas ajudam-nos a mergulhar em busca de comida.


2. Como são as asas dos pinguins?

A partir da observação de fotografias de pinguins e de outras aves, as crianças podem constatar que estes possuem asas invulgarmente curtas. A que se deverá tal diferença?

Para descobrir precisam de:

- Dois retângulos de cartolina, um mais comprido e outro mais curto mas com a mesma largura;
- água;
- tina de vidro ou taça de plástico transparente.

Mergulhem o retângulo mais comprido e o mais curto na água e façam um movimento semelhante ao de um remo. Enquanto que o retângulo comprido se dobra e empurra pouca água, o retângulo curto funciona como uma espécie de barbatana. Também esta adaptação permite ao pinguim deslocar-se rapidamente dentro de água.

Ciência_pinguins


Estas duas experiências tão simples demonstram duas adaptações dos pinguins que lhes permitem ser muito rápidos dentro de água, onde obtêm alimento. No entanto, incapacitam-nos para o voo.